COPOM aumenta taxa básica de juros de para 5,25 - Selic

Atualizado: 24 de dez. de 2021

A Selic influencia todas as taxas de juros do país, como as taxas de juros dos empréstimos, dos financiamentos e das aplicações financeiras.



O Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central decidiu elevar a taxa básica de juros da economia, a SELIC, de 4,25% para 5,25% ao ano, pela a quarta vez consecutiva em 2021, este é o maior nível desde outubro de 2019.


O Aumento da Selic é provocado pela alta da inflação, pressionada pelos preços da energia elétrica e dos combustíveis.


O Copom ainda deixou em aberto a possibilidade de um novo aumento da mesma magnitude na próxima reunião, marcada para daqui 45 dias. Se a previsão se cumprir, os juros saltarão para 6,25% ao ano, maior percentual desde julho de 2019 (6,50%).





Mas o que é o COPOM?



COPOM, sigla para "Comitê de Política Monetária" é um órgão vinculado ao Banco Central, formado pelo seu Presidente e seus diretores, os quais definem, assuntos relacionado a política monetária do País, em especial a cada 45 dias, o percentual da taxa SELIC, a taxa básica de juros da economia brasileira e um relatório de inflação a cada 3 meses.


O COPOM criado, em junho de 1996, com o objetivo principal de estabelecer alguns critérios importantes sobre a economia, critérios estes que impactam diretamente no dia a dia e nos investimentos dos brasileiros.


No entanto, o impacto das decisões econômicas desse órgão não fica restrito apenas aos investidores, já que pessoas que não fazem investimentos algum, também são afetadas. Pois a depender do que foi decidido, em determinados períodos, produtos e serviços ficam mais caros ou mais baratos. Isso porque seu poder de compra poderá aumentar ou diminuir.


Vejamos, em um cenário de quebra dos juros, as pessoas tendem a comprar mais, já que o acesso ao crédito está mais barato e seu poder de compra está maior, ao passo que quando os juros estão elevados, pelo fato do acesso ao crédito está menor, as pessoas tendem a comprar menos, pois o poder de compra também está menor.

As reuniões do COPOM geralmente ocorrem em dois dias seguidos, sendo que no primeiro dia, geralmente, alguns membros do Bacen e chefes de departamentos se reúnem para apresentar aspectos relacionados ao cenário econômico do país, ao passo que no segundo dia, os participantes da reunião analisam os dados apresentados e avaliam os próximos passos que serão adotados pelo comitê.


Após a análise o comitê irá decidir pelo aumento ou pela queda da Taxa SELIC e isso não poderia ser diferente, tendo em vista que as decisões do COPOM podem impactar diretamente na vidas dos brasileiros e residentes do país, sejam eles investidores ou não.



O que é Taxa Selic?


A Taxa Selic foi criada em 1979, justamente, num período em que a economia brasileira enfrentava um cenário de hiperinflação. Seu principal objetivo era ser uma ferramenta para controlar a inflação.


Entretanto, é notável o dato de até hoje, a Selic servir como uma referência para a economia brasileira, pois ela é entendida como um indicador da nossa situação econômica.


"Selic" é a sigla para Sistema Especial de Liquidação e de Custódia para títulos federais, em resumo, ela é o principal instrumento utilizado pelo COPOM para controlar a inflação. Para investir da melhor forma, é fundamental acompanhar o movimento dessa taxa.


O sistema é administrado pelo Bando Central. Sendo que em tal sistema são transacionados diariamente por intuições financeiras títulos públicos federais. A taxa média ajustada dos financiamentos diários apurados nesse sistema corresponde à taxa Selic.​


Apenas instituições financeiras têm autorização para negociar títulos neste ambiente. Sendo assim, pessoas que não se enquadram no regime de instituições financeiras, não podem ter acesso.



Como já sabemos, quem decide o valor da Taxa Selic é o próprio Banco Central, por meio da reunião do COPOM, a cada 45 dias. A Taxa Selic funciona da seguinte maneira:


Os títulos do Tesouro são certificados de dívida emitidos e vendidos pelo próprio governo através do Sistema Especial de Liquidação e Custódia, ao passo que quem compra esses título ganha o direito de receber de volta o valor com o acréscimo de juros.


Pelo fato de as instituições financeiras realizam diariamente diversas operações financeiras, é comum chegarem ao fim do dia com uma quantia maior ou menor do que deveriam.


Assim, nessas situações, elas são obrigadas a pegar empréstimos com outros bancos para cumprir a lei. Sendo que, as instituições financeiras, oferecem como garantias desses empréstimos os títulos públicos adquiridos do Tesouro direto.




  • Taxa Selic Overnight:


A Selic Over é o valor médio das operações que são transacionadas de um dia para o outro. Sendo assim, a Selic Over é a taxa da média de todas as transações diárias e interbancárias realizadas sob o lastro de títulos públicos.



  • Taxa Selic Meta:


A Taxa Selic Meta: esta é a taxa básica da economia Brasileira. Ela serve como parâmetro para outras taxas no mercado, e tende a ser a menor taxa na economia.



É bom ou ruim o aumento da taxa Selic?



Bem, ​a Selic é o principal instrumento de política monetária utilizado pelo Banco Central para controlar a inflação.


Como já sabemos, Ela é definida a cada 45 dias pelo COPOM (Comitê de Política Monetária), em suas reuniões, este órgãos vinculado ao Banco Central, poderá Mantê-la estável, ou seja, sem alterações, ou aumentá-la, ou diminui-lá em pontos percentuais.


Quando há uma redução na taxa Selic, os custos de captação dos bancos diminui, desta forma, estas instituição financeiras tendem a emprestar mais, com juros menores, o que é acaba por ser um estimulo ao consumidor.


Por outro lado, quando ela sobe, os juros cobrados nos cartões, empréstimos e financiamentos ficam maiores, o que causa o efeito reverso, ou seja, desestimula o consumo.


Porém, vale ressaltar, que tais mudanças na Taxa Selic são necessárias pelo fato de a economia está em constante evolução e, por essa razão, é preciso adequá-la aos diversos cenários, a fim de que seja evitado um descontrole econômico.



Com a alta da Selic as empresas ficam mais endividadas, o que influencia negativamente no emprego e na renda da população...


Entretanto, por mais que com a Selic alta haja uma uma desaceleração da economia. Os rendimentos de investimentos em Renda Fixa ou títulos públicos indexados à Selic tendem a aumentar. Por outro lado, os investimento em renda variável tendem a descer.





Aprenda sobre a Bolsa de Valores




Saiba mais em:






46 visualizações0 comentário